D'Arthy Gráfica

Fechamento de arquivo: saiba como fazer da forma correta

Fechamento de arquivo: saiba como fazer da forma correta.

Antes de mandar um material para a gráfica, existem alguns cuidados que devem ser tomados para que ele seja impresso exatamente como o esperado. Além do tipo de arquivo, também é necessário ter atenção ao padrão de cores, margens de segurança e sangria, fontes, resolução e muito mais.

A etapa de pré-impressão até o fechamento de arquivo é muito importante para evitar que erros passem despercebidos. Com alguns minutos, você evita dores de cabeça, economiza tempo, dinheiro e trabalho. Além disso, também garante um resultado de qualidade.

Para auxiliá-lo, apresentamos algumas dicas para que o fechamento de arquivo seja realizado corretamente e você não tenha nenhum problema com a impressão do seu material!

Fechamento de arquivo antes de mandar para a gráfica

Padrão de cores: CMYK ou RGB?

O RGB e o CMYK são padrões de cores com funcionalidades diferentes. O RGB é utilizado principalmente nas telas digitais de celulares, computadores e câmeras digitais, enquanto o CMYK é o sistema aplicado nas impressoras.

Por isso, antes mesmo de iniciar o projeto do seu arquivo, selecione o modo CMYK para que você tenha a maior fidelidade possível de cores em seu impresso.

Margens de segurança, corte e sangria

As margens também são fundamentais e servem para garantir que o seu material não fique com rebarbas brancas e nem tenha nenhum conteúdo cortado. O designer precisa ficar bem atento a esses espaços para ter um layout simétrico.

A margem de corte, também conhecida como refile, é a borda propriamente dita que determina o formato final do material. Já a sangria é uma margem feita no próprio layout, geralmente com 1 a 5 mm, que garante que nenhuma área fique falhada pelo refile. Por fim, a margem de segurança é um espaço interno que limita textos, imagens e outros elementos para que nada fique de fora da arte.

Fontes em curva e espaçamento

Pode acontecer também de você fazer uma arte com uma fonte incrível, perfeitamente alinhada com o seu negócio e com o design que você criou, porém a gráfica não ter essa fonte instalada. Nesse caso, o computador e a impressora acabam substituindo automaticamente por outra e você perde o layout escolhido. Por isso, é importante converter as fontes em curva, transformando-as em desenhos vetoriais para evitar problemas

Além disso, o espaçamento também é algo a ser considerado. Os programas costumam fazer isso automaticamente, mas o designer pode usar seu olhar crítico para definir se as letras precisam de mais ou menos espaço.

Resolução e tamanho das imagens

Quando falamos em impressão, outro ponto essencial é de resolução do material. O mínimo indicado é de 300 DPIs (dots per inch, em português pontos por polegada), porém o ideal é fazer o fechamento de arquivo com o máximo de resolução possível para que seu material tenha a melhor qualidade.

O tamanho também merece atenção, pois, se ajustada em excesso, a escala pode distorcer a imagem. Nunca amplie fotos e imagens em bitmap em mais do que 20% do seu tamanho original.

Revisão dos textos

Outro ponto que precisa ser observado atentamente para o fechamento de arquivo é a revisão. Isso significa observar cada detalhe assim como ortografia, digitação, pontuação, gramática e também a coerência do texto. Além disso, também vale observar mais uma vez o espaçamento, o comprimento das linhas e as quebras de palavras dentro dos parágrafos para uma visão mais gráfica.

A revisão não deve ser feita apenas pela pessoa que escreveu o texto, pois o olhar viciado pode acabar fazendo com que ela deixe alguma coisa passar sem querer. O ideal é pedir para outras pessoas lerem o conteúdo para que o material não seja perdido após a impressão.

PDF em alta resolução

Assim que tudo estiver certo sobre o seu material, é hora de efetivamente fechá-lo em PDF. Esse tipo de arquivo garante a maior qualidade possível, sem possibilitar que alguma alteração seja realizada.

Algumas gráficas até aceitam arquivos em PSD ou AI, porém existe um risco de seu projeto sofrer alguma mudança na hora da impressão.

Escolha o papel e tipo de impressão

Por fim, é hora de definir qual será o papel, método de impressão e também o acabamento utilizado. Dependendo do tipo de impresso, os processos podem ser totalmente diferentes entre si. Por isso, é necessário escolher com cuidado.

Aqui, nossos profissionais podem auxiliá-lo. Com conhecimentos específicos em pré-impressão, impressão e acabamento, os especialistas da D’Arthy orientam cada cliente em seus projetos. Conte conosco na produção dos materiais promocionais da sua empresa. Peça já um orçamento: (11) 4446-4600 /  darthy@darthy.com.br.

Deixe um comentário